Caminhões seguros, mais eficientes e confortáveis

A distância tecnológica existente entre os caminhões de 50 anos atrás e os produzidos atualmente remetem a uma viagem no tempo, uma jornada de avanços, entre os quais alguns jamais imaginados por motoristas e demais profissionais do setor de décadas atrás.

A exemplo de outros setores, a indústria de caminhões dos anos 70 evoluiu para oferecer produtos mais modernos e eficientes, sobretudo para suprir as necessidades do setor de transporte rodoviário de cargas em constante crescimento.

No caso específico da indústria de veículos pesados houve um grande salto de tecnologia nas últimas cinco décadas, saindo do caminhão “pau pra toda obra” e com fama e características de bruto, para veículos de carga mais eficientes nos quesitos conforto, segurança, potência, desempenho e eficiência.

Muita gente ainda se lembra que caminhões sem direção sem hidráulica (queixo duro), caixa de transmissão sem anéis sincronizadores (caixa seca), barulhentos e desconfortáveis eram condições normais no passado.

Da mesma forma ar-condicionado (e com regulagem de temperatura), espaço na cabine e camas confortáveis, entre outros itens de conforto e segurança para o motorista, hoje mandatórios ou exigidos por lei, não existiam e muitos chegaram a itens ser opcionais quando surgiram.

Hoje, todo caminhão já sai de fábrica com freio ABS (sigla em inglês de Antilock Braking System, sistema antitravamento de freio, sistema como o próprio nome diz, evita o travamento das rodas durante as frenagens.

Obrigatório na Europa desde 1991 só passou a ser exigido no Brasil para caminhões e ônibus somente a partir de resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) há menos de 10 anos.

A busca por eficiência levou a indústria de caminhões a produzir veículos mais específicos, seguros e confortáveis para diferentes aplicações

O sistema conta com um sensor instalado em cada roda para fazer a leitura individual da velocidade e informar uma central eletrônica do caminhão e como a maioria dos carreteiros sabe, foi um avanço importante para salvar vidas.

O sistema aciona as válvulas reguladoras dos cilindros de freio e com atuação nos tambores de freio, adequa a rotação das rodas, melhora a aderência e evita o travamento, mantendo a estabilidade e a dirigibilidade do veículo. Sua adoção na Europa reduziu em cerca de 60% o número de acidentes com vítimas em rodovias.

No Brasil não tem conhecimento de um levantamento exclusivo em relação a ocorrências com caminhões, mas é incontestável que sua ação em conjunto com airbag e o cinto de segurança já salvou muitas vidas em acidentes nas estradas.

Aliado com outras tecnologias, a eletrônica embarcada provocou uma mudança total nos caminhões, permitindo a oferta de motores mais potentes com menos com consumo de combustível; aprimorou a previsibilidade de manutenção, reduzindo de modo significativo as quebras; teve implementado diferentes formas de comunicação do motorista e mais recentemente passou a disponibilizar tecnologias mais sofisticadas para se obter maior segurança e desempenho.

Das tecnologias presentes atualmente, o computador de bordo passou a ser um eficiente parceiro de viagem do carreteiro com diversas informações sobre o veículo e a condução. Do mesmo modo, a transmissão automatizada também facilitou a vida do profissional do volante. Totalmente integrada aos caminhões extrapesados, em boa parte dos semipesados e já disponibilizada em modelos de linhas mais leves.

Desde 2020, já rodam no Brasil modelos com transmissão que faz leitura do relevo da estrada, salva as informações para ajustar a velocidade do caminhão ao relevo da estrada.  Com o computador de bordo, a transmissão automatizada e o volante multifunções, dirigir caminhão ganhou nova conotação.

Interior da cabine com pacote Robust inlcui ar-condicionado, bancos com forração em corino

Além dos avanços aplicados aos caminhões, outras tecnologias tornaram as viagens mais seguras para o motorista e a carga. O sistema de rastreamento, por exemplo, há anos tem se fortalecido ao ponto de se tornar uma ferramenta comum à maioria das empresas de transporte.

Também ganharam espaço no setor sistemas de roteirização, pois permitem o planejamento de rotas e evitam o trânsito do caminhão por locais considerados perigosos, em más condições, e também mais longas, pedágios etc. São recursos utilizados em quase sua totalidade por transportadoras.

Mais recentemente, algumas tecnologias disponíveis há alguns anos, como leitores de faixa que avisam o motorista se o caminhão estiver saindo da pista; sensores que freiam automaticamente o caminhão evitando colisão, sistemas que ajudam o motorista a dirigir de forma mais econômica e eficiente, entre várias outras, já marcam presença nos modelos atuais.

As tecnologias aplicadas caminhões seguem em ritmo rápido e trazem soluções cada vez mais eficientes. Também já roda no Brasil, como é sabido, caminhão com inteligência artificial que troca mensagens com as bases, identifica veículos e objetos na laterais e câmeras que substituem os espelhos retrovisores e proporcionando ao motorista maior visibilidade inclusive em manobras de marcha à ré e visibilidade de pontos cegos do veículo.

É o primeiro, e ainda o único cavalo mecânico produzido e vendido no mercado brasileiro com mirrorcam (câmeras no lugar de espelhos retrovisores)

 



Fonte: https://www.ocarreteiro.com.br/caminhoes-mais-seguros-confortais-e-eficientes/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *